Unidados Contabilidade

Notícias

5 dicas de gestão financeira para o pequeno empreendedor

A gestão financeira para o pequeno empreendedor é fundamental, assim como para o médio ou grande. Não importa o tamanho da empresa e muito menos o segmento, realizar esse processo vai garantir um negócio mais sustentável e passível de crescimento.

A gestão financeira para o pequeno empreendedor é fundamental, assim como para o médio ou grande. Não importa o tamanho da empresa e muito menos o segmento, realizar esse processo vai garantir um negócio mais sustentável e passível de crescimento.

Pela falta de uma boa gestão, muitas empresas com potencial acabam fechando as portas, especialmente diante de uma crise.

É muito comum que alguns empreendedores não compreendem a dinâmica de entradas e saídas de dinheiro, por isso, acabam se enrolando bastante na hora de administrar os recursos.

Como realizar a gestão financeira para o pequeno empreendedor?

Controlar as finanças é muito mais do anotar as entradas e saídas, é fundamental que o gestor aprenda alguns processos que podem ser um grande divisor de águas na administração do negócio.

O departamento financeiro é um dos mais importantes da empresa, afinal, é o dinheiro que vai determinar qual o caminho o negócio vai seguir. Os recursos disponíveis são os primeiros a serem consultados diante de qualquer tomada de decisões.

Por isso, algumas dicas são fundamentais para assegurar que a gestão financeira do seu negócio está sendo feita de maneira correta. Confira!

1- Separe o dinheiro pessoal e empresarial

Geralmente a gestão financeira para o pequeno empreendedor está longe da realidade da maioria. Afinal, o gestor entende que o negócio é dele e poderá usar os recursos a hora que precisar.

Esse é um dos erros mais comuns nos pequenos negócios e acredite, isso pode levar a empresa a um grande descontrole.

É praticamente impossível fazer uma apuração exata de lucros quando os recursos são retirados a qualquer momento.

O empreendedor precisa saber o quanto ele poderá retirar mensalmente e isso deve ser feito depois da apuração dentro do período.

2- Controle os custos da empresa

Esse é um departamento que demanda muita atenção do empreendedor, pois sua lucratividade pode estar indo para o ralo devido a altos custos e a incorreta precificação dos produtos ou serviços.

Por isso, a gestão financeira para o pequeno empreendedor entra em cena com a descrição de todos os custos e divisão em fixos e variáveis. Dessa forma, é possível ter uma visibilidade maior do que deve ser reduzido para ampliar os lucros.

Uma empresa precisa ser competitiva na formação dos seus preços, boa parte desse cálculo é feito mediante a análise de despesas, afinal, se isso não for feito, o negócio tem o risco de trabalhar no vermelho.

3- Use um software de gestão

A tecnologia tem o poder de armazenar e integrar dados, isso pode significar muito para o negócio.

Os sistemas de automação integrados reúnem informações de todos os setores da empresa. O resultado disso é rapidez na geração de dados, otimização do tempo e principalmente segurança.

Com tudo isso em mãos, o gestor pode tomar decisões mais ágeis e acertadas. Ademais, terá a noção clara da lucratividade do negócio e onde vai precisar mudar algo para trazer mais benefícios ao negócio.

4- Criar um plano estratégico

Nesse caso, o principal objetivo é determinar metas de crescimento, ou seja, onde a empresa deseja chegar?

Mas, não se trata somente da criação de metas, é também necessário analisar como a empresa vai conseguir isso com base nos seus recursos financeiros, humanos e materiais.

No planejamento estratégico deve-se detalhar os caminhos que serão percorridos para que a empresa chegue no seu objetivo.

É fundamental que o negócio tenha essa perspectiva e ação para não ficar estagnado.

5- Acompanhe os controles e crie melhorias

A gestão financeira para o pequeno empreendedor possui as mesmas etapas de uma empresa maior. Depois de implementada, é fundamental analisar constantemente os números.

Com organização, é possível avaliar o número de inadimplência, despesas futuras, projeção em vendas e até possibilidades de investimentos.

Como não é uma ciência exata e esse processo não tem começo, meio e FIM. Então, é possível fazer as devidas modificações sempre que possível.

É importante que o empreendedor faça cursos na área e estude como realizar a gestão financeira de maneira correta. As empresas de maior porte podem terceirizar esse processo, contudo, para o pequeno negócio isso não é aconselhável.

A boa notícia é que o contador da sua empresa também pode ajudar!

Últimas Notícias

  • Empresariais
  • Técnicas
  • Estaduais
  • Artigos
  • Melhores

Agenda Tributária

Período: Abril/2021
D S T Q Q S S
    010203
04050607080910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Cotação Dólar